segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

O rei morreu. Viva o rei.
Sobre a morte do Eusébio não me vou alongar mais. Não é preciso. A vida e carreira dele falam por si e o que viesse a escrever em nada acrescentaria.

Parece-me uma parolice o que estão a fazer em torna da estátua do Eusébio, mas isso sou eu que não gosto muito de marquises.


O Benfica venceu os corruptos. Mais uma vez a comunicação social ajuda a branquear as actividades dos animais que compõem a claque daquele clube. Não sei em que estádio os jornalistas deste país estiveram, mas dizer que o minuto de silêncio foi totalmente respeitado... Enfim, quando não se tem coluna vertebral dá nisso.

Quanto ao jogo, o habitual nos últimos anos. O Benfica melhor, os corruptos a distribuir cacetada, e o árbitro a fingir que não é com ele.

Cada contra-ataque do Benfica era parado a pontapé. Os poucos que não foram parados assim deram golo ou perto disso. Incrível como a maioria dos jogadores dos corruptos é incapaz de roubar uma bola sem ceifar a perna primeiro.

O Carlos Eduardo, o Lucho e o Jackson ainda devem estar a pensar como é que se safaram de ser expulsos. Se não viram o corruptos-Estoril do ano passado (o que seria estranho porque estiveram lá os 3) digo apenas que o Artur Soares Dias gosta de entregar camisolas ao público no estádio do ladrão.

Falando no anormal que foi escolhido para carregar os corruptos ao colo neste fim de semana, é mesmo um tipo dedicado à causa corrupta. Fingir, a meia dúzia de metros, e com a visão desimpedida, que o Mangala não se meteu a fazer um bloco, ao melhor estilo de voleibol, bem dentro da área corrupta, e mandar jogar, é de quem já não tem vergonha nenhuma, e as costas tão tão quentes que já parecem uma sauna. Teve azar que o Benfica marcou no canto (uma raridade), mas pelo menos evitou expulsar o Mangala.

Parece que o palerma do Ribeiro Cristovão disse que o Benfica é benefeciado por o penalti não ser marcado (porque podia não entrar) e na jogada seguinte ter havido golo. Deve ser uma lei da vantagem que desconheço, mas na minha terra é sempre mais perigoso um penalti que um canto. Estes tipos da comunicação social anti-benfica dão com cada cambalhota para justificar os roubos.

Antigamente os corruptos precisavam dos roubos para ganhar ao Benfica, ao Sporting, e mais alguma equipa que os tivesse a dificultar.
Agora a roubalheira já só lhes chega para não serem goleados (com 7 ou 8 em campo, como devia ter acabado, levavam uma tareia histórica) pelo Benfica. Ser levados ao colo já nem dá para ganhar ao Belenenses ou Académica.

O Fonseca está a levar os corruptos de volta aos tempos em que passavam a ponte para o sul do Douro e já estavam a enfardar 3. E eu aprecio.

O Benfica está a começar a carburar (normalmente é entre Janeiro e Março que surgem os melhores jogos desde que o Jorge Jesus é treinador). Espero que o Cardozo e o Salvio recuperem depressa. Ter sobrevivido dois meses sem o melhor ponta de lança e cinco sem o melhor extremo, e manter o 1º lugar isolado não está mau. Os corruptos e o Sporting à máxima força estão ao mesmo nível que o Benfica coxo. Isso é pouco falado, mas há que realçar.

Espero que o Matic, o Gaitan e o Rodrigo (finalmente em forma) não saiam os 3 no mercado de Inverno (um vai ter que ser devido à extrema incompetência de ser eliminado num grupo da Liga dos Campeões com Olympiakos e Anderlecht).

De qualquer forma...

CARREGA BENFICA!!!

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Piada benfiquista 1

O jogo Benfica-Corruptos da 15ª jornada vai ser jogado dia 12 às 16h00.
Parece-me uma jogada inteligente por parte do Benfica ter o jogo marcado para a tarde pois, como toda a gente sabe, os corruptos só jogam bem no calor da noite.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Alguém aí tem...

...4 milhões de € para despedir um treinador?

André Almeida no banco e Cortez titular?
Markovic queimado a jogar na ala?
Funes Mori?
Ivan Cavaleiro só nos últimos 10 minutos?

domingo, 17 de novembro de 2013

Tirando uma pausa do futebol

Já não passava por aqui há algum tempo.

Isto de não haver jogos do Benfica para o campeonato faz com que não apeteça discorrer sobre o glorioso. Nem o jogo da taça com o Sporting me fez vir cá, porque não me estava a apetecer escrever um post gigante a explicar porque motivos o árbitro errou para os dois lados e as queixas do presidente e jogadores do Sporting são exageradas, para não dizer estúpidas.

Não vou falar da selecção, que não merece três linhas de texto.

Quero realçar as modalidades de pavilhão do Benfica, que andam a fazer boa figura. Futsal, Voleibol, Hóquei em Patins, Andebol e Basquetebol.

No fim de semana passado o Benfica ganhou ao Sporting em futsal, fora de casa, por 7-8. Podiam ter sido mais, mas é aflitivo de ver o Benfica a jogar quando o adversário mete guarda-redes avançado. O Sporting arriscou jogar sem guarda-redes a 15 minutos do fim porque estava a perder 3-6. O Benfica marcou dois golos. A 7 minutos e meio do fim estava 3-8. A 47 segundos do fim estava 7-8. É desesperante ver que, ano após ano, o Benfica é a única equipa contra a qual é seguro jogar sem ninguém na baliza. Levamos sempre mais golos que os que marcamos, o que é paradoxal. Salvou-se a vitória, uma exibição excelente, mas devo ter ganho alguns cabelos brancos.
Hoje uma vitória tranquila com o Póvoa Futsal por 3-5.
Ao fim de 11 jogos Benfica, Sporting e Leões de Porto Salvo em igualdade pontual no 1º lugar, com o Braga com menos 1 ponto.
Faltam 15 jogos para o fim da fase regular, e apenas 2 jogos fora de casa são longe de Lisboa, Académica daqui a 2 jogos, e Boavista na 3ª jornada da 2ª volta. Tendo isso em consideração, o Benfica tem obrigação de acabar a fase regular em 1º.

No Voleibol, das cinco a modalidade que gosto menos, fez quatro jogos nestes dois fins de semana. Perdeu com uma das equipas mais fortes do campeonato e que vai discutir com o Benfica a vitória final. Ganhou os outros três jogos.
Há que continuar a trabalhar.

No Hóquei em Patins, depois de no fim de semana passado o Benfica ter iniciado a defesa da Liga Europeia, vencida o ano passado em pleno antro da corrupção, com uma vitória 13-3 contra uma equipa alemã, empatou 3-3 com o Turquel para o campeonato. É mau porque, naquele que é dos desportos onde as influências externas mais condicionam, perder dois pontos logo na terceira jornada é chato.
Ontem o Benfica ganhou a Taça Intercontinental contra o Recife (10-3). Tanto troféu internacional ganho em pouco mais de três anos e uma liga vencida em doze anos. Um estrangeiro talvez achasse estranho.

O Andebol venceu fora de casa a NAAL Passos Manuel na 4ª feira e o Fafe no Sábado. Com Benfica, corruptos e Sporting com 10 vitórias (os corruptos com um jogo a menos e provavelmente ganham porque é contra o último), isto promete luta até ao fim.

No Basquetebol, depois de na semana passada o Benfica ter perdido em Guimarães (o que é chato pois para mim é o principal adversário na luta pelo campeonato), ontem venceu em casa o Sampaense e hoje foi jogar com a Ovarense para o campeonato e pôs fora da prova outro favorito ao troféu.

As coisas nas modalidades vão andando bem. Tenho que passar pelo pavilhão mais vezes, embora seja um bocado triste das vezes que lá vou e comparo com a final da Taça Continental com o Vendrell, com o pavilhão cheio. É preciso os benfiquistas encherem os pavilhões da Luz e os pavilhões adversários (excelente hoje na Póvoa de Varzim no Futsal e ontem em Torres Novas no Hóquei).
Temos que levar o Benfica para a frente.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

"Para o campeonato vai dando"

A época passada, depois do Luisinho e do André Gomes se terem estreado na Liga Portuguesa, numa vitória em Barcelos por 3-0, onde por acaso os dois marcaram um golo cada um, o "brilhante" e "competente" treinador do Benfica disse qualquer coisa como "para aqui vão chegando".

Para além de mostrar um enorme respeito pelos jogadores que tem à disposição, dá vontade de dizer que pela boca morre o peixe.

Jorge Jesus para a Liga ainda vai dando (mal, mas dá para ganhar quase todos os jogos). Para competições europeias é que não dá. Mesmo para jogos um pouco mais exigentes em Portugal não dá.

A defesa à zona do Benfica garantiu ontem, com o Olympiacos, mais uma derrota europeia. Não importa ter jogado bonito e bem, não importa que o guarda-redes adversário tenha feito o jogo da vida dele, a verdade é que a equipa grega teve uma oportunidade, marcou, ganhou.

Os gregos tiveram uma oportunidade por incompetência do Benfica nas bolas paradas defensivas.
Uma equipa não pode querer passar a fase de grupos da Liga dos Campeões se não é capaz de defender cantos e livres laterais. Ontem, na zona de onde partiu o jogador grego que marcou estavam dois atacantes e um defensor. Não é possível que o jogador do Benfica impeça dois adversários de chegar à bola.

A culpa é de quem treina que não prepara a equipa para estas situações que acontecem n vezes durante um jogo.

Foi esta derrota com o Olympiacos, com o PSG dois dos três golos surgem de cantos, a final da Liga Europa da época passada o segundo golo foi de canto. Com o Fenerbache fora de casa um golo de canto, com o Bordéus fora de casa mais um golo de canto, com o Celtic na Liga dos Campeões da época passada, na Luz, mais um golo de canto...

Se uma equipa defende mal as bolas paradas a culpa é somente do treinador.

Até nos jogos portugueses isto acontece. Contra os corruptos, nos dois últimos campeonatos o Benfica sofre na Luz um golo de livre lateral (o do ano passado então nem nas distritais se admite).
O Estoril o ano  passado marcou dois golos ao Benfica (um em cada jogo) em cantos.


Já chega de tanta incompetência!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Sem fruta é outra coisa...

Ontem constatei com alguma satisfação que um dos defesas dos corruptos foi expulso aos 6 minutos dos jogo corruptos - Zenit.
Gostei de ver a cara de desespero do suíno Josué, que gritava como o leitão que aparenta ser, nas costas do árbitro, protestando com a mais que natural ordem de expulsão ao Herrera, e o juiz da partida a ignorá-lo olimpicamente. Nem olhou para o indivíduo.
Lembrei-me também de duas outras coisas.
A primeira, que leva ao título deste post, sem fruta é mais difícil. Os jogadores dos corruptos, e isso foi bem notório no corruptos - Atlético de Madrid, dão as maiores sarrafadas nos adversários e quando o árbitro assinala falta eles ficam possessos. Eles efectivamente, de tão habituados que estão a que não se marque nada quando o árbitro é um dos portugueses amigos, não percebem e não compreendem porque é que a falta foi assinalada, fazem uma cara de babuínos confusos, e é verdadeiramente cómico de observar.
A segunda, também relacionada com o título é: qual a diferença entre árbitros isentos em termos de cartões e expulsões? Só me lembro de duas expulsões no Benfica em competições da UEFA desde que o Jorge Jesus é treinador, uma do Gaitán com o Lyon e outra do Maxi com o Chelsea.

Fui ao site zerozero (não é perfeito, mas é o que se arranja).

Fui comparar Benfica e corruptos em termos de cartões amarelos, duplos amarelos e vermelhos directos, tanto na Liga Portuguesa como nas Competições da UEFA.



As épocas analisadas foram 2008/2009, 2009/2010, 2010/2011, 2011/2012 e 2012/2013, ou seja as quatro de Jorge Jesus e a de Quique Flores.


Os resultados vêm nos seguintes quadros.
Para a Liga Portuguesa, tendo em conta que o número de jogos é igual para os dois (150) é apresentada uma média por jogo no caso dos cartões amarelos, e média por época nos duplos amarelos e vermelhos directos.
Para as competições da UEFA a média é por jogo em todas as rubricas em análise (o Benfica fez 63 jogos e os corruptos 52.)


Figura 1. Cartões amarelos, duplos amarelos e vermelhos directos na Liga Portuguesa




 Figura 2. Jogos, cartões amarelos, duplos amarelos e vermelhos directos do Benfica na UEFA
Figura 3. Jogos, cartões amarelos, duplos amarelos e vermelhos directos dos corruptos na UEFA

No que respeita a cartões amarelos as coisas estão mais ou menos equilibradas, os corruptos têm em média menos 0,3 por jogo que o Benfica, tanta na Liga Portuguesa como na UEFA. Isso são mais 9 amarelos ao fim de 30 jogos (mesmo assim na Liga isso chega para mais castigados de um lado que de outro).

As coisas ficam giras é quando se analisa as expulsões. Dois dados saltam logo à vista. Em Portugal, por época, o Benfica tem o dobro dos jogadores com duplo amarelo e mais do triplo com vermelho directo, num total de 28 expulsões, uma média superior a 5 por ano.
Já os corruptos, em cinco épocas, tiveram apenas 12 jogadores expulsos. Tendo em conta que nessas cinco épocas passearam pelos relvados as técnicas karatecas de Bruno Alves, Raúl Meireles, Fernando, Mangala e outros que tais, é obra (da fruta e da falta de vergonha).


Poderia-se pensar (e alguns mal intencionados pensam) que isto é porque os jogadores do Benfica são muito violentos. Mas quando se observa os jogos da UEFA vê-se que eu tinha alguma razão no início do post quando dizia só me lembrar de uma expulsão do Gaitán e outra do Maxi. É porque essas são duas das três que o Benfica teve em cinco épocas. As três por duplo amarelo. Digno de nota é as ZERO, repito ZERO expulsões por vermelho directo. Para um clube que na Liga tem 2 por época (1 em cada 15 jogos), seria de esperar umas 4. Mas não. Limpo o registo.


Olha-se para os números dos corruptos e vê-se, em duplos amarelos, uma média por jogo três vezes superior. Vê-se também três vermelhos directos, num total de 11 expulsões em cinco épocas.


Aqui está parte da explicação de porque é que o Benfica está a subir no ranking da UEFA, mostrando lá fora que é melhor que os corruptos, mas depois não consegue ganhar a Liga Portuguesa. As condições são diferentes.
Aqui os corruptos ganham, lá fora qualquer Málaga lhes dá um banho de bola.


Voltando ao título do post, sem fruta é outra coisa.